Prezado leitor (a):
            Em primeiro lugar pedimos desculpa pela ousadia em invadirmos a sua privacidade, mas, perante assunto de tamanha importância para a sociedade, a nível familiar, por excelência e, como consequência, no âmbito das nações, permitimo-nos transmitir-lhes uma alternativa de esperança e apaziguamento das tensões vivenciadas por essa mesma sociedade, não dogmática ou utópica, mas alicerçada em verdadeiros princípios e fundamentos filosóficos existenciais.
            Independentemente de qualquer circunstância preconceituosa, gostaríamos que a sua boa vontade e gentileza pudessem abdicar de alguns minutos do seu lazer, para apreciação e reflexão do conteúdo desta mensagem. Só assim, como dizia Sócrates, estaremos em condições de nos pronunciarmos convictamente.
Não temos o direito de exigir de quem quer que seja, a aceitação dos nossos princípios e crenças. Não obstante, ninguém estará também à altura de difamar esta ou aquela doutrina, levianamente, ou seja, sem conhecimento de causa.
Numa época em que o computador se tornou o símbolo da expressão maior da lógica matemática, permitindo ao homem a titubeante conquista espacial, é chegada a hora de materializar-se o tão ancestral questionamento:
De onde viemos?
Porque viemos?
Para onde iremos, após a morte física?
Apesar de recebermos essa dádiva esclarecedora através de “O Livro dos Espíritos”, vindo a público pela primeira vez em 18 de Abril de 1857, pelas mãos de Allan Kardec, o maior pedagogo da França de então, o homem, de uma maneira geral, sábio, ignorante, religioso ou ateu, recusou de ânimo leve esse esclarecimento e ensino maior, sem a mínima preocupação em averiguar e aprofundar-se nesse assunto.
Ao invés, inicia-se uma perseguição aos seguidores do espiritismo e à doutrina que nos transmitiu essa filosofia existencialista. Incongruência das incongruências, até aos dias de hoje, de uma maneira geral, ainda somos olhados com desdém e preconceito, pela simples ignorância e arrogância de alguns, e por outros que, baseados nos mesmos princípios, mas do cimo das suas cátedras de pseudointelectuais.
O conhecimento liberta da ignorância, ou, como disse Jesus: a verdade te salvará. Interpretamos o espiritismo como a expressão matemática das religiões, a única corrente religiosa e filosófica que nos transmite os reais fundamentos existenciais.
Para aqueles que, pelos motivos mais variados, já se tornaram espíritas, dispõem agora de uma obra com leitura mais acessível à compreensão dos textos de Kardec. Para os que se propuserem ousar esse elevado conhecimento, terão uma motivação maior em assimilar esse ainda controverso e polémico caminhar existencial.
Não obstante termos concluído também a tradução de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, numa linguagem primorosa de entendimento, não reunimos ainda condições financeiras para a sua publicação em livro, estando disponível apenas no seu arquivo “PDF”, podendo ser adquirida através do seu download. Estamos em vias de conclusão de “O Livro dos Médiuns”.
Num momento tão conturbado da sociedade, acreditamos plenamente, que a prática desta doutrina, contribua efetivamente para a transformação do homem num ser mais humano, solidário e fraterno.
Se acreditar nesta mensagem, ajude-nos a difundi-la.
Sejam bem vindos aqueles que tiverem a coragem de iniciar esta caminhada.
Por isso, e em segundo lugar, convidamo-lo a percorrer na íntegra, os itens componentes do site, antes de efetuar qualquer hipotética compra, para que, ao fazê-la, seja imbuído de absoluta convicção ou motivação, sobretudo, na parte das mensagens, pois, todas elas, de fundo eminentemente espírita, ou nem tanto, transmitem uma elevada sintonia ética de princípios morais e humanistas, que nos encaminham à reflexão. Nesse contexto, incluímos também o CD que contém a trilha sonora de abertura e todas as músicas da novela “O Pantanal”, em nosso entender, talvez, a novela de melhor conteúdo já feita no Brasil, com belíssimas composições do grande compositor Marcus Viana, onde se retratam também fundamentos espíritas.
Se, ainda assim, não ficar tocado, por qualquer circunstância, lamentamos apenas, mas agradeceremos sempre a paciência que teve em receber-nos, pois, temos a certeza absoluta que não terá sido em vão o lançamento desta semente no seu lar, que um dia, fatalmente, germinará em todo o seu esplendor, uma vez que todo o ser está predestinado a beber e banhar-se neste superior conhecimento existencialista.
OBRIGADO! OBRIGADO! OBRIGADO!...
FRATERNAIS SAUDAÇÕES.
Ribeirão Preto, Outubro de 2013
 
Alberto Maçorano
 

Login

Rastreamento de Correios